SAAE alerta sobre descarte de objetos perfurocortantes junto ao lixo comum


28 Fevereiro 2019
SAAE alerta sobre descarte de objetos perfurocortantes junto ao lixo comum

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de São Gabriel do Oeste (SAAE), alerta sobre os cuidados com o descarte adequado de materiais perfurocortantes domésticos. Em menos de dez dias, foram registrados dois acidentes envolvendo coletores, em decorrência do descarte incorreto.

De acordo com o presidente do SAAE, Leonardo de Rossi Vieira, o primeiro caso ocorreu devido ao descarte incorreto de agulhas e seringas. Já o segundo, ocorrido na última segunda-feira (25), foi pela presença de cacos de vidro junto ao lixo comum, resultando em ferimento na mão de uma coletora.

Certos tipos de resíduos devem retornar ao posto de venda para o descarte correto, por exemplo: embalagens de defensivos agrícolas, seringas, agulhas, etc. Ao ser adquirido no comércio, é direito do consumidor orientações sobre possíveis restrições de descarte. Materiais como vidros, arames, plásticos duros e outros, devem ser embalados em caixas separadas e identificadas com indicação de “PERIGO: MATERIAL CORTANTE OU PERFURANTE”. Outra opção é acondicionar esses materiais em garrafas PET, com a mesma identificação de risco.

Para agulhas, seringas e outros materiais de saúde, utilizados por pacientes no ambiente domiciliar que ofereçam riscos de contaminação ou de acidentes, devem ser destinados de forma adequada às unidades de saúde dos bairros. “Nunca descartar esse tipo de resíduo no lixo doméstico”, orienta Leonardo. “A indicação é que as pessoas armazenem esse material em recipientes plásticos ou de papelão para evitar acidentes de contaminação e entreguem nos postos de saúde municipais ou nas farmácias. Em caso de dúvidas, façam contato com o SAAE, pelo telefone 3295-1191”.

O Serviço informa também que lâmpadas pós uso devem ser descartadas como resíduos seletivos e identificadas, exceto as lâmpadas fluorescentes, que devem ser devolvidas ao local de compra, destino igual para pilhas e baterias.

Ainda segundo o SAAE, os materiais perfurocortantes são comumente encontrados nos resíduos urbanos domiciliares, o que traz risco de outros acidentes aos coletores. A separação é considerada a etapa mais importante, uma vez que determina a sequência correta das etapas a serem realizadas, conforme a classificação de cada resíduo.

A separação inadequada desencadeia uma série de prejuízos, inclusive financeiros, já que aumenta o custo para o descarte dos resíduos. Além disso, podem contaminar trabalhadores e usuários e proporcionar danos ambientais. A não-reciclagem aumenta a demanda por espaço no aterro sanitário e interfere nos recursos naturais, os quais serão cada vez mais explorados para a produção de matéria-prima.

O vidro, por exemplo, é um tipo de material que não se degrada na natureza, por isso precisa ser descartado da maneira mais segura e correta possível. Sabemos que seus restos - produzidos pela quebra de copos e garrafas no ambiente doméstico - são altamente cortantes e, se manuseados de maneira incorreta, podem causar uma série de acidentes.

Diante disso, a melhor maneira de descarte desses resíduos é agrupá-los e envolvê-los em jornal, caixas de leite ou de papelão para que o coletor não sofra acidentes e para que o material não fique diretamente em contato com sacolas plásticas e rasgue-as, dispersando pedaços cortantes. Além disso, é necessário colocar todos esses materiais em uma caixa de papelão com os dizeres “PERIGO: MATERIAL CORTANTE OU PERFURANTE”, conforme orientado pelo SAAE. Recomenda-se também que as garrafas inteiras devam ser lavadas para a reciclagem e que os cacos de vidro não sejam misturados com terra ou sujeira.

As latas de aço, por sua vez, são infinitamente recicláveis, ou seja, elas podem retornar ao dia a dia das pessoas nas mais diversas formas.